LoreB e a cena musical alagoana, “que não perde para ninguém” | Música Pavê

“É muito massa a gente poder ver nosso nome num line up desses”, contou LoreB em entrevista ao Música Pavê sobre a expectativa de dividir o palco com alguns de seus ídolos na 6ª edição do Festival Carambola, que acontece nos dias 2 e 3 de abril, em Maceió. Essa é a volta do evento ao formato presencial, que nas últimas três edições aconteceu virtualmente por causa da pandemia.

LoreB é um dos nomes que tem movimentado a cena musical alagoana nos últimos anos, e a sua participação no evento condiz com os passos que ela tem dado desde o início de sua carreira, em 2019. Na bagagem, a cantora e compositora tem um EP e um álbum visual, além de parcerias com artistas como Wado e Júnior Almeida.

Apesar de sua projeção no contexto da música brasileira independente, LoreB destaca como a falta de oportunidades pode ser um empecilho. “Eu falo para todo mundo, a gente aqui de Alagoas… A gente não está perdendo para ninguém [de outros estados], sabe? Então quando as pessoas dão espaço para a gente dessa forma é muito massa. A gente fica muito feliz quando tem essas oportunidades, de mostrar que a gente também está aí nos corres”. 

Esse empenho para mostrar o seu trabalho também é demonstrado no disco Cheio de Vazio, lançado no fim de 2021, no qual a alagoana assumiu diversas funções na execução do projeto. “Eu decidi fazer um roteiro para cada música. Foi o que transformou o projeto em um álbum visual completo. Foi massa também parar e pensar em roteiro, sequência de música, sequência de cenas… Enfim, me joguei na atuação também. Foi uma loucura muito gostosa, que eu adorei produzir. Eu tenho muito orgulho desse trabalho”.

Devido às restrições da pandemia, só agora, no Carambola, é que LoreB vai ter a oportunidade de apresentar ao vivo essas músicas que desenvolveu durante o período de isolamento social. “A gente que é artista vive da troca com o público. Esse lado [da pandemia] pesou bastante”, relata a cantora.

Misturando elementos da música brasileira e da sonoridade eletrônica, LoreB descreve o álbum Cheio de Vazio como “denso, porque traz críticas sobre a sociedade. É um disco mais cabeça”. Sobre seus planos, a cantora diz que pretende seguir agora por outro rumo. “Os meus próximos passos vão ser menos densos, mais acessíveis”, conta. “Vou falar de amores e não de dores, vai ser uma coisa mais levinha”.

“Eu estou terminando as composições. Já dando um spoiler aqui, o próximo trabalho vai ser um EPzinho, de umas cinco faixas inéditas”, fala LoreB sobre as músicas em que tem trabalhado. “Agora eu estou em um som mais sintético, pop.” Uma das referências que a inspiraram durante o processo criativo foi a banda francesa L’Imperatrice. No novo EP, a cantora diz “vou arriscar até um francês”.

Enquanto o novo projeto está em fase embrionária, a volta aos palcos é o que a artista mais anseia. Também passam pelo Festival Carambola outros nomes da cena local como Cris Braun, Ítallo França e Naty Barros. De outros estados, juntam-se a eles Céu, Jup do Bairro, Tuyo e Gilsons.

Curta mais de LoreB e de outras entrevistas no Música Pavê




We wish to give thanks to the writer of this short article for this outstanding web content

LoreB e a cena musical alagoana, “que não perde para ninguém” | Música Pavê

Fuzzy Skunk